Nona Alta Seguida da Bovespa

A semana no mercado doméstico começou com mais uma elevação da projeção de inflação para 2015: o IBGE mostrou um crescimento do IPCA de 0,54% em setembro, o que já era previsto pelo mercado. Por sua vez, as perspectivas do FMI sobre o desempenho da economia brasileira neste ano pioraram  e a retração prevista já é de 3%, o dobro da estimativa anterior.

Houve ainda o anúncio de que o governo brasileiro lançará nos próximos meses as “debêntures padronizadas de infraestrutura”, um novo instrumento de mercado de capitais para aumentar o financiamento para concessões do Programa de Investimentos em Logística (PIL).

Mesmo com o cenário interno conturbado – ainda mais após o TCU (Tribunal de Contas da União) rejeitar as contas do governo de 2014 – a semana foi positiva para a bolsa brasileira. Impactada pela Ata do FOMC, que adiou a alta dos juros nos Estados Unidos, a Bovespa fechou com 9 altas seguidas e já regista um avanço de 9,4% somente no mês de outubro. O Dólar também pegou carona na decisão do Fed e fechou a semana com baixa de 4,74%, sendo vendido a R$ 3,7588.

16 de fevereiro de 2017

Nona Alta Seguida da Bovespa

A semana no mercado doméstico começou com mais uma elevação da projeção de inflação para 2015: o IBGE mostrou um crescimento do IPCA de 0,54% em setembro, […]
16 de fevereiro de 2017

Déficit Inédito

A semana no mercado doméstico começou com a divulgação dos resultados das contas do governo pelo Tesouro Nacional. Foi registrado um déficit primário – quando as despesas […]
16 de fevereiro de 2017

O que esperar da reunião do COPOM?

Nesta semana (amanhã e quarta-feira), ocorrerá a primeira reunião do COPOM (Comitê de Política Monetária) do ano e promete ser a mais complicada desde a crise de […]
16 de fevereiro de 2017

Sobre as “robustas” reservas internacionais

Não é de hoje que o governo enche o peito para dizer que o Brasil tem US$ 375 bilhões de reservas internacionais, nível extraordinário, nível “nunca […]